Quantas calorias tem em uma maçã? E em um prato de lasanha bolonhesa?

Ou você sabe quantas calorias dá para perder em 1 hora de esteira?

Você não sabe? Nenhuma ideia? Nadinha?

Bem, nem eu! Não faço a mínima ideia.

Sabe no que isso influencia no seu emagrecimento?

Nada.

o-que-é-melhor-para-emagrecer

Você agora deve estar pensando:

-Ahh, que conversa fiada. Já vi em todo canto que para perder peso é só cortar algumas calorias, comendo menos, e fazer 30 minutos de esteira todos os dias.

Realmente é isso que vemos em todos os lugares mesmo. Mas deixe eu te fazer uma pergunta?

Quantas pessoas você conhece que seguem essa receita e não conseguem perder o peso que desejam? Ou quantas ficam frustradas por que não conseguem ver nenhum resultado e acabam desistindo?

Eu conheço várias que passaram por isso. Eu também passei por isso e cometia os mesmos erros que 95% das pessoas que tentam emagrecer cometem. Passei a ter resultados quando entendi como nosso corpo funciona e aprendi como queimar a gordura de verdade.

Nesse artigo você também vai aprender dois grandes mitos do emagrecimento e qual é o melhor para ficar em forma: alimento ou exercício?

Mito #1 – tudo se resume a ingerir menos calorias do que seu corpo gasta

Segundo esse mito, basta que a gente faça algumas contas ao longo do dia e pronto. O peso vai embora para sempre. Colocando dessa maneira não parece lá muito eficaz, não é? Pois é. O problema nesse método tão repetido por aí é que o “o que” você vai cortar importa muito mais do que o “quanto”.

Vamos a um exemplo:

Digamos que uma pessoa resolva cortar 700 calorias por dia, ao final da semana terá um déficit de 4900 calorias.  Segundo os cientistas, 4900 calorias equivalem a 700 gramas de gordura. Então quer dizer que ela irá perder quase um quilo de gordura na primeira semana, como dizem por aí, certo? Hum… não mesmo.

O problema nessa lógica é que o corpo não tem como saber que deve queimar só gordura. O peso perdido nas primeiras semanas, que foram motivo de tanta alegria, é composto de água, gordura e músculos. Sim, músculos! Cortando apenas calorias sem prestar atenção na alimentação e nos exercícios corretos ela vai acabar queimando a última coisa que queremos quando estamos emagrecendo.

 

Por que perder músculos é tão ruim e por que acontece?

Nosso corpo é uma máquina superdesenvolvida e com mecanismos de defesa bastante eficientes. Quando passamos a restringir a quantidade de nossa alimentação, sem dar o combustível correto para o corpo, nosso cérebro acha que a comida disponível está acabando e passa a entrar em um processo de economia de energia. A mensagem é bem clara para o nosso corpo:

-“Jogue fora” o que mais consome energia (músculos) e coma o máximo que puder, sempre que possível!

O nosso corpo tem essa defesa desde os tempos das cavernas, quando o alimento era muito mais difícil de ser encontrado. Mas os tempos passaram e encontrar comida é muito mais fácil hoje em dia, mas o nosso corpo ainda se comporta da mesma forma.

É por esse motivo que muita gente acaba engordando ainda mais depois de alguma dieta restritiva. Depois que a força de vontade passa e a frustração chega: a vontade de comer está nas alturas!

Isso é o cérebro dizendo: coma o que encontrar pela frente!

Então, resumindo:

Alguns quilos são perdidos nos primeiros dias. O corpo acha que a comida está em falta e entra em modo de economia de energia. Então o ponteiro da balança já quase não desce mais. A frustação aparece. A fome toma de conta e o peso perdido volta com alguns quilos de gordura a mais e músculos de menos.

Por isso vale a pena comentar de novo: o mais importante é o “o que” você retira, não o “quanto”.

Mito #2 – exercícios aeróbios de longa duração são os melhores para emagrecer

Não tem nada mais entediante do que ir para academia e ter que passar 30 minutos correndo em cima de uma esteira e depois mais meia hora de bicicleta. Por mais que seja o maior tédio, é o que todos nós escutamos quando começamos a procurar formas para perder peso.

Esse foi um dos motivos que me fizeram desistir da academia três vezes: o tédio. Sei que não é um problema só meu, você pode já ter passado por isso. Além de quase não ver mais resultados, perder uma hora do meu dia ali, fazendo aqueles exercícios repetitivos e chatos, de segunda a sexta, não era para mim.

Mas o que você realmente quer saber é que história é essa de que os aeróbios não são os melhores exercícios para queimar gordura, certo? Então vamos lá.

O Dr Izumi Tabata desenvolveu uma pesquisa em que os resultados mostraram que exercícios realizados em um curto período de tempo e com alta intensidade, são mais eficientes do que os exercícios aeróbios de longa duração tão comuns nas academias. Nesses exercícios, você só precisa de 15 minutos por dia (ou até menos!) e três vezes na semana. A grande diferença é que no fim deles, se for feito da maneira correta, você vai estar completamente exausto.

Esses exercícios são chamados de treinos intervalados de alta intensidade (do inglês high intensity interval training – hiit). Você pode ver no vídeo abaixo um exemplo de um treino de 5 minutos.

Para você entender o que faz o HIIT tão eficiente para queimar gordura você tem que saber que nós temos dois tipos diferentes de metabolismo: o aeróbio e o anaeróbio. O primeiro usa oxigênio como combustível e o segundo não. Nos exercícios de longa duração sempre estamos estimulando o metabolismo aeróbio, já quando fazemos os exercícios de alta intensidade conseguimos ativar o anaeróbio.

A grande sacada é que o metabolismo anaeróbio consome muito mais energia do que o aeróbio, fazendo com que a queima de gordura seja potencializada com os dois metabolismos trabalhando juntos.

Outra grande vantagem dos exercícios baseados nos resultados do Dr Tabata é o aumento da sensibilidade à insulina em até 25%, além do acréscimo natural na produção do hormônio do crescimento, que é de grande ajuda na queima da gordura e no crescimento dos músculos.

E então, alimentação ou exercícios?

 

A resposta para essa pergunta você já deve saber a essa altura:

-Nenhum dos dois é o mais importante. Os dois são.

Muita gente está sempre em busca da dieta milagrosa, do remédio para emagrecer da noite para o dia ou no novo exercício da moda. Perder peso tem que ser encarado como um estilo de vida, não uma obrigação de alguns meses que podem acabar te atrapalhando mais que ajudando.

Focar o emagrecimento só na alimentação funciona, mas sem o exercício correto você não vai estar criando músculos para te manter em forma e sem flacidez.

O foco só nos exercícios, mas comendo de qualquer jeito vai atrasar você de atingir seu objetivo, além de não fornecer o combustível para seu corpo se recuperar dos exercícios. A suplementação funciona, mas não é o principal e você pode ter excelentes resultados só com alimentação correta.

Agora que você chegou até aqui, quero saber se você já acabou seguindo os dois mitos falados aqui? Se você concorda ou não com eles?

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe com seus amigos para que eles também deixem de seguir esses mitos desvendados!

 

Alimentação ou Exercícios: Qual o Melhor Para Emagrecer?